domingo, 5 de agosto de 2012

The Hunters *historia paralela a 31dO*


Olhou pelo olho mágico, tirou uma faca da bota abriu a porta e a fechou em seguida.
- O QUE ESTA FAZENDO AQUI? – Ela perguntou elevando a voz.
- O que você acha que eu estou fazendo aqui Alex? – Henrique perguntou calmo.
- Eu quero vá embora...
- Eu não vou embora sem conhecer...
- EU NÃO QUERO VOCÊ AQUI HENRIQUE, JÁ CHEGA O QUE ACONTECEU NA ITÁLIA, NÃO BASTA PRA VOCÊ? – Alex tinha um tom triste.
- ALEX HÁ DOIS ANOS TE PROCURO, VOCÊ TEM IDÉIA DO QUE É ISSO? HÁ DOIS ANOS ESTOU ATRÁS DE VOCÊ...
- VOCÊ ESCOLHEU ASSIM!
- NÃO... VOCÊ ESCOLHEU VOCÊ FOI EMBORA, EU NEM TIVE CHANCE DE DIZER PRA NÃO IR, SABE QUANTO É HORRÍVEL SABER QUE EU TENHO UM FILHO E NÃO SABER SE UMA MENINA OU UM MENINO, SABE O QUANTO É RUIM FICAR LONGE DE UM CRIANÇA QUE EU NEM AO MENOS CONHEÇO, UMA LIGAÇÃO ALEX, VOCÊ ESCOLHEU, VOCÊ FOI EMBORA, QUANDO FUI TE PROCURAR VOCÊ NÃO ESTAVA MAIS NO PAÍS...
- Você não ia querer a criança. – Alex abaixou a voz e guardou a faca.
- Não diga o que não sabe. – Henrique também abaixou o tom de voz.
- Você me deixou assim que deitei na mesma cama que você. – Começava a escorrer lagrimas dos olhos Alex.
- Alex eu era um pirralho, um moleque que não sabia o que era perder alguém... Eu não sabia que tudo isso ia acontecer. – Henrique olhava diretamente nos olhos de Alex.
- Mas fez e tudo isso aconteceu. – Ela virou de costas e entrou no apartamento. – Vai ficar ai? – Ela olhou por cima dos ombros.
- Tá me convidando pra entrar? – Ele perguntou com meio sorriso.
- Achei que queria conhecer alguém. – Alex deu de ombros e entrou mais no apartamento. Henrique colocou o pé dentro do lugar e olhou tudo com calma.- Se você continuar olhando muito vou te colocar pra fora. – A garota ameaçou.
Ele revirou os olhos e seguiu Alex até a cozinha.
- Alex sua perna esta sangrando. – Claire avisou.
- Aé. – Ela foi até a pia da cozinha molhou um pano e limpou a pele. – Claire esse é Henrique, Henrique essa é a Claire e seu filho Charles.
- Você é o que aprendiz da Alex? – Henrique perguntou encarando Charles.
- É ela não me aceitou como amante. – Charles disse com um sorriso maroto.
- Aquele Henrique? – Claire perguntou com os olhos arregalados, Alex respondeu com a cabeça e Claire encarou Henrique. – Prazer Claire Hill caçadora aposentada.
- Claire Hill? – Henrique apertou a mão da mulher assustado.
- Sim.
- Claire Hill tá cuidando de você? – Henrique olhou Alex que ainda limpava o ferimento.
- Reformule essa pergunta Henrique. – Ela disse sem olhá-lo.
- Bem que seus pais disseram que você estava em boas mãos. – Ele sorriu animado.
- Péra ai... Mãe o que esta acontecendo? – Charles perguntou.
- Depois conversamos eu quero saber uma coisa antes, O que esta fazendo aqui Henrique? – Claire perguntou séria.
Ele olhou pra Alex que estava séria.
- Vim conhecer meu filho... Ou filha. – Ele respondeu pensativo.
- Espera. – Charles mais uma vez cortou todo mundo. – Você abandonou as duas e agora quer conhecer seu filho?
- Já disse pra não tirar suas próprias conclusões Charles. – Alex caminhou até a geladeira e tirou duas latinha de refrigerante jogando uma pra Henrique. – Ele nunca abandonou a criança eu sai da Itália no mesmo dia que contei a ele.
- Mesmo assim, depois de dois anos ele vem te procurar...
- Eu vou bater nele. – Henrique olhou pra Alex que deu risada. – Assim que a madame aqui foi embora, eu fui na casa dos pais dela saber a onde estava, e olha que legal ninguém quis me dizer a onde estava, dei seis meses pra você se instabilizar no pais, fiquei seis meses tentando achar uma pista pra saber em que cidade estava, tive um problema nos meses seguinte e tive que adiar minha caça pessoal, e sabe quando eu descobri que você estava aqui? – Alex balançou a cabeça em um não. – Há duas semanas quando seus pais mandaram material pra cá. Você é uma garota difícil de se localizar. – Ele bebeu alguns goles do refrigerante.
- A onde esta o Elliot? Eu sei que esta com você. – Alex insistia em olhar o nada.
- Tá por ai... Mandei ele dar uma volta enquanto te seguia. – Ele deu risada.
- Ele ainda tem coragem de mentir pra mim. – Ela deu risada.
O lugar fico em silencio até Charles cobrar sua mãe.
- Você ainda me deve explicações senhora Hill. – Ele a encarava.
- Eu fui uma caçadora antes de você nascer, quando nasceu me aposentei disse que não ia mais caçar, é perigoso quando se tem um filho... – OS três olharam Alex que retribuiu o olhar assustada.
- Eu disse que ia parar, Claire disse que não, eu tentei. – Alex tomou um gole do refrigerante.
- MÃE. – Abbie gritou do quarto.
O coração de Henrique acelerou de uma maneira que ele não conseguia explicar, mas seu corpo congelou, ele não se movia. Alex revirou os olhos quando viu a ação de Henrique. Ela foi até o quarto e pegou a menina no colo.
- Que amor? – Ela perguntou beijando o rosto da menina.
- Tem alguém no meu quarto, eu vi... Tava perto de mim. – Ela chorava.
Alex mais uma vez olhou por todo o quarto.
- Desculpa queria ver se era parecida com o pai ou com a mãe. – Elliot coçou a cabeça.
- Desgraçado sai daqui. – Ela o chutou. – Não se assusta crianças nunca te disseram isso?
- Já, mas eu estava curioso. – Ele saiu do quarto sem jeito.
- Pronto amor não era nada, ele é um amigo da mamãe, só queria te ver. – Alex tentava acalmar a criança que teimava em chorar. – Tem uma pessoa que quer te ver, mas se continuar a chorar eu não te levo pra ver.
A menina com dificuldade parava de chorar aos poucos.
- Urso. – Ela apontou pro ursinho que estava em cima da cama. Alex o pegou e olhou mais uma vez pra menina.
- Paro de chorar ou tem mais? – Abbie respondeu com um não. – Posso te levar pra conhecer essa pessoa? – e mais uma vez a menina balançou a cabeça, mas dessa vez em um sim.

- O que tá fazendo aqui Elliot? – Henrique perguntou encarando o amigo.
- Vim conhecer... Esquece, vim te fazer companhia. – Elliot sorriu.
- Aham, é o que? – Henrique ainda olhava Elliot.
- Ela tá vindo com a criança Henri você esperou dois anos não pode esperar mais alguns minutos?
- Não.
Alex apareceu no corredor e olhou Henrique que mais uma vez congelou.
- Tá nervoso? – Elliot perguntou rindo.
- Idiota. – Henrique deu um soco no braço de Elliot.
- Era só falar que não.
- Vem. – Alex esticou a mãos e a menina a segurou.
- Colo. – Ela ergueu os braços segurando o ursinho.
- Ok Ok. – Ela se inclinou e pegou a menina no colo e se aproximou de Henrique.
- É uma menina. – Henrique sorriu e deu alguns passos a frente até ficar frente a frente com a menina. – Tem seus olhos... Você não me disse como colocou o nome dela. – Ele desviou seu olhar para Alex.
- Er... – Alex desviou seu olhar para o chão. – Abigail.
Henrique a encarou sem expressão demorou alguns minutos pra digerir.
- Você colocou o nome dela de Abigail?
- Eu sabia que você gostava. – Alex sorriu timidamente.
- Oi Abbie. – Henrique abriu um sorriso maior que ele e a menina se escondeu no pescoço da mãe. 
- Abbie... Você sabe quem é ele? – Alex perguntou tentando olhar a menina que tentava se esconder.
- Olha o que você tá perguntando é lógico que ela não sabe quem eu...
- Papai. – A menina disse tímida.
-...Sou! – Henrique complementou abismado. – O que ela disse?
- O que ele é seu Abbie? - Alex perguntou.
- Meu pai? – A garota perguntou olhando sua mãe pra ter certeza, e Alex fez um sim com a Cabeça.
- Eu preciso escutar isso de novo. – Henrique disse sem acreditar. – Abbie... Eu sou o que seu?
- Papai. – Ela repetiu fazendo Henrique abrir mais um sorriso.
- Abigail... – Henrique a chamou e a menina se encolheu.
- Tá bravo? – A menina perguntou tímida.
- Não meu anjo, porque estaria? – Henrique perguntou olhando a garota.
- Porque mamãe só me chama de Abigail quando tá brava comigo. – A menina respondeu o olhando.
- Gosto do seu nome, por isso te chamei de Abigail. – Ele sorriu.
Abbie esticou os bracinhos em direção a Henrique. Ele olhou para Alex que tinha um sorriso contendo no rosto.
- Posso? – Ele perguntou.
- Ela é sua filha não é? – Alex perguntou e entregou Abbie a ele.
- Filha. – Henrique sussurrou pra menina a abraçando. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário